sábado, 31 de dezembro de 2011

Prece de Ano Novo

Para esse ano novo
Quero meus sentidos mais apurados
Rotinas quebradas
E coração acelerado
Que venha uma trajetória de conquistas
Rumos incertos a destinos seguros
Pessoas que fiquem,
Almas eternas
Almejo justamente a eternidade
Quero transfigurar o relógio
Abrandar o ponteiro
Fechar os olhos
E multiplicar os segundos
Quero o amor!
Desejo ardentemente
Noites com gotas generosas
De loucura e paixão
Para que meus dias
Sejam mais frescos, calmos e sadios
Quero mudar o mundo
Ao molde dos meus sonhos.
Quero um ano novo...
Simples assim!

Marco Hruschka

E desejo tudo isso a você também! Feliz 2012!
sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Os dias, os rostos e as máscaras

Vou levando a vida assim, leve de repente
Como quem contempla o curso do rio
E sabe onde ele desagua no fim da corrente
A água que vai não volta, o dia não adio

Vou levando a vida assim, suave e envolvente
Cingindo-me de meus dias, porque eles são só meus
Sem me arrepender de nada, mas sendo coerente
Com os princípios e as virtudes de nosso Deus

Vou levando a vida assim, sem ser um total inconsequente
Pois aqui se faz, aqui se paga, tudo está ligado
No topo do mundo elea te vigia incessantemente
Te jugando, te moldando em seu pedestal inabalado

Vou levando a vida assim, sem máscara que me sustente
O que sou está exposto, sem mácula, artefato ou carnaval
Quando chegar a minha hora, irei assim, voluntariamente
Sorrindo de meu rosto inato, intrínseco e essencial

Marco Hruschka
quinta-feira, 10 de novembro de 2011

As vidas em um parágrafo

Você já parou para pensar que a sua vida é dividida em várias outras vidas de você mesmo? Cada etapa é tão diferente da outra e ao mesmo estão ligadas e influenciadas entre si. Cada novo relacionamento, cada nova conquista é uma vida por si só. Você nasce sem saber para que veio. Passa a infância sem saber o que é responsabilidade, sendo moldado pela família, amigos, televisão e sociedade. Quando adolescente, conhece tantas coisas novas que se teletransporta para uma outra-mesma-vida e se redescobre em outros prazeres nunca antes sentidos. Vive o mundo da dúvida de não saber ao certo o que vai ser quando adulto. Os olhos piscam e você já o é. Agora, você vai se dedicar ao trabalho que escolheu, podendo mudar várias vezes de profissão. E não se preocupe com isso, pois, apesar de ninguém nunca lhe ter dito, você tem mais vidas que um gato. De repente você vai querer formar uma nova família, dividir tudo que tem e que sabe com pessoas as quais você escolherá, ou que a vida escolherá por você. Pode ser que você envelheça sem saber ao certo o que realmente gostaria de ter feito ou o que realmente sabia fazer com talento. Pode ser que um dia você consiga comprar uma casa nova e diga: "Vida nova!". E não é que é mesmo?! Você vai amar muitas vezes e viver com várias pessoas diferentes. Às vezes sozinho. Mas para cada fim de relacionamento, quem disse que você não teve que renascer? E quando um novo amor acelera o coração, você se sente outra pessoa, toda renovada, cheia de novos planos para uma nova vida. E quando você já fez tudo isso e mais um pouco,  passa a observar as outras pessoas mais novas fazendo a mesma coisa. Então fecha os olhos esperando tranquilamente a nova vida que se seguirá. Marco Hruschka
terça-feira, 8 de novembro de 2011

Eu e Deus


"Deus nos deu uma vida para que pudéssemos desfrutar dela da melhor maneira possível. Para que buscássemos a felicidade. E sempre haverá uma maneira de ser feliz. Mesmo em meio às turbulências da nossa rotina é possível sorrir. Sorria! Isso faz com que as pessoas a sua volta se sintam melhor, atraindo energias positivas. Quando se sentir triste e sem esperanças, lembre-se que você pode trilhar outros caminhos e conhecer novas pessoas. O mundo é imenso e está esperando por você. Desafie-se e mostre a você mesmo que pode conquistar tudo o que quiser. Sonhe alto. Corra atrás e não fique lamentando o que já passou. Aprenda com os erros e procure ser a cada dia uma pessoa melhor. Respire mais fundo e contemple Deus a sua volta." Marco Hruschka
terça-feira, 25 de outubro de 2011

Das dores do mundo

Sou os olhos do cego a sangrar de escuridão
Sou a mão do pedinte, em chagas de paixão
Sou o câncer do enfermo a corroer-me a entranha
Sou o moribundo a suplicar pela vida, dor tamanha

O negro escravizado e sem direitos sou eu também
A esposa do marido que a espanca e mais além
Sou o filho que nasce antes do tempo, desfalecido
No descabido tempo que se impõe sem ser pedido

O injustiçado atrás das grades é-me outra vez
Sem futuro, sem consolo, de companhia a escassez
Sou o próprio Deus a castigar e a ser julgado
Por aquele que não teve tanta sorte e tanto agrado

Sou a traição do casal apaixonado
E também o próprio anel retirado e descartado
A deusa Discórdia solta pelo mundo
Semeando a la vontê o seu vírus mais fecundo

O sussurro, o frio, o guia e a passagem
Sou a visita, o hospedeiro e ao mesmo tempo a viagem
Que vem para calar da vida o sofrimento
De uma existência toda em si sem cabimento 

Marco Hruschka
sábado, 15 de outubro de 2011

Recomeçar


O nascimento é prenhe de morte, a morte, de um novo nascimento” M. Bakhtin

Vida cíclica
Ciclicamente
Redonda
Voltas e voltas
Vem e vai
Indo e vindo
De revindas e partidas
Do início ao fim
Do que recomeça
Do que renasce
Do que já se foi
E assim vai
É assim que é
Indo e vindo
Vem e vai
Voltas e voltas
Redonda
Ciclicamente
Cíclica é a vida

Marco Hruschka
quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Sites franceses

Este post é direcionado aos meus alunos e àqueles que admiram a língua e a cultura francesas. Indico abaixo uma lista de links relacionados. Com certeza será muito útil para os estudos de vocês. Desde sites de dicionários, rádios, revistas, conjugadores de verbos, cultura e aprendizado em geral. Profitez-en!

Dictionnaire - Sensagent
Dictionnaire - Mediadico
Dictionnaire - Tradukka
Evene - Toute la culture
Français Québécois
Journal - Aujourd'hui
Journal - Canada Français
Journal - L'Humanité
Journal - Le Devoir
Journal - Le Figaro
Journal - Le Monde
Journal - Le Parisien
Journal - La Libération
La Météo en France
Magasine - Diplomatie
Magasine - L'Internaute
Radio - OUI FM
Radio - Canada
Radio - Chérie FM
Radio - Europe 1
Radio - France
Radio - France Internacional
TV5
Verbes - Bescherelle
Verbes - Le conjugueur
sábado, 13 de agosto de 2011

O deus do amor


O amor não deve ser tão complicado quanto parece.
Ele tem várias particularidades.
Se eu te olho com admiração, respeito e carinho,
Essa é a minha maneira de te amar.
Se eu tenho vontade de passar o meu tempo ao teu lado,
Rir natural e demasiadamente e chorar juntos se preciso,
Pois é assim que te amo.
Se acordado e sonhando te sinto e te quero,
Por acaso isso é amor.
E se por você sinto todos esses amores,
Do sentimento multifacetado
Me torno o deus do próprio Amor.

Marco Hruschka

Foto:  Psiquê revivida pelo beijo de Eros, de Antonio Canova.
domingo, 31 de julho de 2011

Poema A Natureza Contra-ataca, nas árvores de Governador Valadares



"O projeto Um poema em cada árvore completa um ano de vida dia 1º de agosto de 2011 e caminha a cada mês mais forte, ampliando as possibilidades de leitura através da construção de alternativas que oferecem à sociedade acesso gratuito à leitura.

E mais:

A cada edição oferece espaço para a divulgação da produção literária de escritores desconhecidos do grande público e torna a poesia mais valorizada e próxima do cotidiano das pessoas.
Uma parte considerável da população valadarense já foi atingida pelo projeto. Incluem-se aí as pessoas que fazem caminhadas diárias ao redor da Lagoa Santa, pessoas que frequentam as praças onde também acontece o projeto e considerando que também são atingidas pelo projeto as milhares de pessoas que passam pelas ruas do centro de Governador Valadares a quantidade de público conquistado pelo Um poema em cada árvore torna-se ainda mais amplo." Marcelo Rocha, coordenador do projeto.

Marco Hruschka
sexta-feira, 1 de julho de 2011

Poema "Don Juan" nas árvores de Governador Valadares - MG


O "Um poema em cada árvore" é um projeto que visa o incentivo à leitura, à produção literária,  a democratização do acesso aos bens culturais e popularização da poesia em Governador Valadares/MG. Poemas de autores desconhecidos do grande público são impressos e pendurados em árvores de praças, ruas, avenidas e calçadões da cidade.
O projeto começou em agosto de 2010 a partir de iniciativa do poeta Marcelo Rocha e já contou com a participação de mais de 60 poetas de diversas cidades do Brasil.
E neste mês de junho o poema "Don Juan" foi selecionado para participar do projeto. Para (re) ler o poema, segue o link: 




Marco Hruschka
sexta-feira, 24 de junho de 2011

Fêmea

Meus lábios são carne em movimento
Vontade incontida, sangue espesso e latejante
Pulsante, mulher desinibida, fôlego e alento
Gotejar, vibrar, sou tango, sou dançante

No limiar da noite, sou trêmula e amante
Sou lágrima de delícia enquanto beijo e acalento
Cada doce segundo que passa, cada sonho incitante
Teu corpo, tua nuca, teu arrepio, te intento

Um cio, porque sou animal, por um momento
E se me solto e me entrego, é porque sou tua doravante
De um jeito que nunca fui de ninguém, amém, sacramento
Quero morrer em fusão com teu corpo abundante

Me espalho nos lençóis e te recebo coadjuvante
Cantarolante de paixão, ritual de melodia, eu sou relento
E num toque lento e sucessivo tudo se transforma, atuante,
Assonante vou e volto até os nervos se contraírem, mar sedento

Já não aguento, vou derretendo, sorrindo, amando, querendo
De novo e novamente, ininterruptamente apaixonante, sangrante,
Delirante, e vou me acabando, me dissolvendo, vertendo
E emanando cachoeira de mim-mulher, amor inebriante
Marco Hruschka
sábado, 11 de junho de 2011

Sentinela Morte



Para onde vão aqueles que se vão?
Para o magma do breu, festejar o nada que existe após isso?
Sentar-se ao lado direito de Deus, brindar com aquele que nos tira a vida?
Transformam-se em espírito ou em anjo, para vagar eternamente no trânsito divino?
Ou para uma caixa de madeira, são e salvo desse mundo em que vivemos?

Isso eu não sei, mas sei de uma coisa, eu vou morrer!
E... surpresa: Você também vai!
Todos vamos, como se você não soubesse,
Mas uma perda nos entristece, pois somos dependentes do outro,
E quando a saudade cresce, choramos como crianças, outros enlouquecem...

Seres-moribundos, somos isso, isso é o que somos,
Nascemos e já sabemos que vamos morrer, o que fazer?
Talvez amar e viver cada segundo como se fosse o último,
Pois o instante derradeiro está à espreita, aguardando o momento
De entrar e fazer o seu trabalho, transportar-nos para um lugar mais seguro.

Em condolência a toda família, pela perda inestimável da querida prima Ediane nesta data.

Marco Hruschka
terça-feira, 3 de maio de 2011

A natureza contra-ataca I





O ser humano
Regride a cada
Dia, a cada gesto
Tem tudo o que precisa para viver, para ser feliz
Água, terra, ar, fogo, o amor, amizade, Deus está
Aí para quem quiser ver e sentir, eis o pilar primo
Mas a época de ouro já se foi, onde a gente tinha
A natureza em equilíbrio, as paisagens naturais
De encher a boca
Com elogios de
Ex-vida-vera

Marco Hruschka
domingo, 24 de abril de 2011

Livro Além do Quintal, de Marlene Edir Severino

A escritora catarinense Marlene Edir Severino (http://alemdoquintal.blogspot.com) lança seu livro de poemas e aquarelas, o qual faço questão de divulgar aqui no meu blog. Juntamente com a exposição da capa, publico também o comentário crítico do também escritor Ricardo Steil, que compara de maneira graciosa "Além do Quintal" e "Tentação", meu livro de poesias. Marlene, meus parabéns pela obra. Ricardo, meus parabéns e obrigado pelo comentário. Abraços a todos.
Marco Hruschka



Crítica de Além do Quintal (Visão do Crítico)



“Tentação” de Marco Hruscka — livro-marco-poético da literatura paranaense —, enfim encontrou adversário a altura com a publicação de “Além do Quintal” da catarinense Marlene Edir Severino.

Se Hruscka através de sua poesia cria imagens, figuras, entoa melodias perfeitas com seus sonetos — um Byron da nova geração —, Marlene transforma poesia em aquarela, o corpo em tela, tesão em amor.

Universos distintos que se completam: cosmo e caos, lábios e língua, homem e mulher.
Ambos devem ser lidos tanto pelos apreciadores das belezas poéticas, quanto pelos críticos e estudiosos. Torço realmente que um dia estes dois grandes autores se encontrem pessoalmente. Ia ser lindo ver “A Dama” tomando um “cafezinho” ao lado do “Byron de Maringá”, enquanto filosofam sobre a vida, “tentações”, “saramagos”, “hildas”, “devaneios”, “jogos cíclicos”, “Florbela”, “Pessoa” e “aquarelas” existenciais. As musas aguardam ansiosas... “à espera deste milagre” no “quintal” mais próximo.

Ricardo Steil (escritor, poeta, compositor, crítico de cinema) 
http://ricardosteil.blogspot.com/
quarta-feira, 13 de abril de 2011

A natureza contra-ataca II




Agora, os monumentos são artificiais:
A Torre Eiffel, A Torre de Pisa, o
Cristo de pedra, sendo que Deus
É o próprio ar, a própria baía
Que o circunda... o homem
Gosta de olhar pra cima
Mas não tem o talento
De enxergar sequer
O que está a sua
Frente, o bem
Mais caro,
Natura!
Erosão!
Tremores...
Terremotos...
Deslizamentos...
Tsunamis: A água e
A terra sobre o homem,
Erupções e tufões: o fogo,
Ar e homens amalgamados.
O caos naturalmente impera e
Toma conta desse mundo insano
Que seres egoístas como você e eu
Traem-se como um pseudo Prometeu.

Marco Hruschka

PS: Poesia publicada na Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos - Vol. 77, pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores.
quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Entrevista para a Revista Literato

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

"A Vergonha” - crônica de Luiz Fernando Veríssimo sobre o BBB

"A Vergonha” - crônica de Luiz Fernando Veríssimo sobre o BBB

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A décima (está indo longe) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 10 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB 10 é a realidade em busca do IBOPE.

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis? São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados..

Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns).

Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores )

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa...., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.
sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Sem margens



Já não suporto mais esse amém,
Me afogo, definho e transbordo
Só de pensar em continuar nessa ausência...
Indecência de vida que não realiza os meus sonhos!
Já não tenho mais onde me apegar, a não ser nesse amor
Insano e delicioso que sinto por ti.
E sem ti vago no abismo do caos,
Andarilho pelas noites e pelos sonhos que me queimam
A alma, a vida, a voz...
Tão venenosas são as vestes que me envolvem,
Salva-me! O vento que te me traga de volta, de vez.
Lembro-me às vezes da tua voluptuosidade, toda lasciva
E eu vagando, velejando e vivendo a tua vida.
Eu era-te... e quero ser-te por todo o sempre,
Veraneio sem volta, vivenda de fantasias etéreas;
Sorvo-te como o melhor vinho vindo das vagas dunas do além
E incorporando-te a mim galgaremos
Até onde ninguém nunca chegou:
Ao vórtice, à voragem que tudo destrói e renova...
Subverter-nos-emos e nos arrebataremos na relva
Do sossego e da ternura, da candura, da verdura
E o que nos restará, enfim e sem fim, brandamente alado,
Será o meu peito pulsando em forma de poesia
Que se define como o próprio amor declarado.

Marco Hruschka

*Poema publicado na Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos, pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores, em fevereiro de 2011.

Marco Hruschka no Facebook

Quem sou eu?

Minha foto
Maringá, Paraná, Brazil
Marco Hruschka é natural de Ivaiporã-PR, nascido em 26 de agosto de 1986. Morou toda a sua vida no norte do Paraná: passou a infância em Londrina e desde os 13 anos mora em Maringá. Sempre se interessou em escrever redações na época de colégio, mas descobriu que poderia ser escritor apenas com 21 anos. Influenciado por professores na faculdade – cursou Letras na Universidade Estadual de Maringá – começou escrevendo sonetos decassílabos heroicos, depois versos livres, contos, pensamentos e atualmente dedica-se a um novo projeto: contos eróticos. Seu primeiro poema publicado em livro (Antologia de poetas brasileiros contemporâneos – vol. 49) foi em 2008 e se chama “Carma”. De lá para cá já, entre poemas e contos, já publicou mais de 50, não apenas pela CBJE, mas também em outras antologias. Em 2010 publicou seu primeiro livro solo: “Tentação” (poemas – Editora Scortecci). Em 2014, publicou “No que você está pensando?” (Multifoco Editora), livro de pensamentos e reflexões escrito primordialmente no facebook. É professor de língua francesa e pesquisador literário.

Lançamento

Lançamento
No que você está pensando?
"A vida é um compromisso inadiável" M. H.
"A cumplicidade é um roçar de pés sob os lençóis da paixão." M.H.

No que você está pensando?

No que você está pensando?
Pensamentos e reflexões

Meu livro de poemas

Meu livro de poemas
Tentação

Total de visualizações de página

Seguidores

Contato:

marcohruschka@hotmail.com
Tecnologia do Blogger.

Siga-me por e-mail

Arquivo do blog